terça-feira, 19 de novembro de 2013

Os meus blogues do coração. E um bolo para o pequeno almoço.

Ainda o No Soup não era sequer uma vontade. Naquela altura em que comecei a ler blogues de culinária em português tudo isto era um mundo novo, partilhando-se cozinhados através textos e imagens ainda ingénuos, mas ainda pessoais e autênticos.

Hoje a blogosfera tornou-se noutra coisa.
Muitos dos blogues que nessa altura acompanhava perderam-se no caminho dos posts encomendados por marcas e mais marcas que só procuram conteúdos gratuitos. Há marcas que organizam eventos interessantes e com conteúdo que acrescenta e faz sentido divulgar, mas o que mais se vê anda longe disso... Do pessoal ao fabricado foi um caminho agora feito com textos cheios de lugares comuns e fotografias de imaginários copy/past do Pinterest.

Outros desencantaram-se com a massificação destes padrões e baixaram os braços. Ou fecharam a porta ou correram as cortinas, que só abrem de quando em quando, sem muita vontade de procurar um lugar ao sol na blogosfera dos “famosos”.

Mas o melhor é que muitos deles também evoluíram e cresceram e continuam hoje os meus grandes amores da blogosfera de comida. Ou porque os textos são absolutamente lindos, ou porque as fotografias são autênticas e criativas, ou porque as receitas são deliciosas e irresistíveis. Ou até mesmo porque têm tudo isto ou nada disto, apenas uma autenticidade que me prende e me faz gostar tanto de um blogue sem saber ou precisar explicar porquê.
Alguns dos meus amores maiores são o Gourmets Amadores, o Sabores de Canela, o Caos na Cozinha, o In the Mood for Food, o La Cucinetta, o Sopas de Tudo (antigo Ardeu na Padaria), o Chucrute com Salsicha, o Elvira’s Bistrot, o Le Passe Vitte, o Zine de Pão, o No Reino da Prússia, o Outras Comidas, o Little Upside-Down Cake. Uns mais recentes do que outros, mantêm o fulgor de sempre naquilo que os torna mais autênticos, cada um com o seu brilho, cada um com a sua voz única.
Tudo gira, em constante renovação, com blogues novos a nascer a toda a hora e muitos deles cheios de qualidade à procura do seu espaço.

Estes pensamentos surgiram-me a propósito da alegria que senti quando vi o último post da Elvira com palavras tão simpáticas sobre mim e sobre o Velocidade Colher. Acompanho o Bistrot desde sempre e passando ao lado de modas e modismos, é uma referência na nossa blogosfera e uma visita obrigatória para quem gosta de boas receitas.

Fiquei, sim, vaidosa, porque não é todos os dias que alguém que admiramos e não conhecemos nos dedica um post assim. Dos sítios onde sabe tão bem estar.

 photo 1_zpscf891cc8.jpg  photo 2_zpsb894cabc.jpg 
Como a sensação das manhãs em casa.
Embrenhada nas leituras (a propósito de toda esta conversa, este post é longo mas vale a pena a leitura), um café com leite, um bolo caseiro, como se o tempo não contasse (ui, mas conta, o relógio não pára).

Dos sítios onde sabe tão bem estar. Sentada à mesa, em casa, a tomar o pequeno almoço enquanto se espanta a preguiça. O dia depois disto só vai correr melhor!

  photo principal_zps698bd3b2.jpg

Bolo de batata doce e especiarias

100 g de batata doce assada (sobras ou rapidamente assada no microondas)
3 ovos
180 g de açúcar amarelo
100 g de leite
100 g de óleo de girassol
100 g de farinha p/ bolos
80 g de farinha de trigo integral
30 g de aveia
½ c. café de gengibre em pó
½ c. café de canela em pó
1 pitada de noz moscada
1 c. chá de fermento p/ bolos
½ c. chá de bicarbonato de sódio
1 cenoura ralada

// preparação tradicional

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Unte com manteiga e polvilhe com farinha uma forma de buraco.

Esmague a polpa da batata assada, até obter um puré. Reserve.
Bata os ovos com o açúcar até obter uma mistura esbranquiçada.
Adicione a batata doce, o leite e o óleo e continue a bater.
Envolva as farinhas, a aveia, as especiarias, o fermento e o bicarbonato e envolva suavemente na massa.
Por fim, envolva a cenoura ralada.

Deite a massa na forma preparada e leve ao forno a 180ºC durante aprox. 30 minutos ou até ao espetar um palito este sair seco.


// preparação robot de cozinha (bimby_thermomix)

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Unte com manteiga e polvilhe com farinha uma forma de buraco.

Coloque no copo a batata e triture 5 seg/vel 5.
Adicione os ovos, o açúcar, o leite e o óleo e bata 1 min/vel 6.
Junte as farinhas, a aveia, as especiarias, o fermento e o bicarbonato, envolva com a espátula e programe 5 seg/vel 3.
Por fim, envolva a cenoura ralada com a espátula.

Deite a massa na forma preparada e leve ao forno a 180ºC durante aprox. 30 minutos ou até ao espetar um palito este sair seco.

 photo IMG_1750_zpsebd55ba7.jpg

60 comentários:

  1. Gostei muito querida Susana! Acho também que é importante neste meio, ainda que muito recente para mim, estarmos associados àquilo (marcas) que gostamos e que nos digam qualquer coisa...e não estar gratuitamente a despejar um supermercado nos conteúdos de um blog. Aproveitei para dar uma checkada na lista dos teus amores :-) A receita...como sempre: MEGA
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cada um faz do seu blogue o que quer e, claro, quem gosta visita, quem não gosta, não vai lá.
      Aqui no No Soup tento esse equilíbrio de que também falas, porque se é um blogue de culinária e receitas, faz todo o sentido escrevermos sobre o que gostamos e quando me apetece, falo de marcas e falo dos produtos, mas falo porque quero.
      E nos blogues de que mais gosto, aprecio isso mesmo, que estou a ler qualquer coisa com verdade e não um discurso encomendado a troco de truta e meia. Mas isto é assunto que dá pano para mangas. lol
      Há muitos outros blogues que acompanho, claro, porque felizmente o que não falta é bons projectos por aí. :)
      O teu tem um nome que é logo magia! Bj*

      Eliminar
  2. Estou muito contente que estou na tua lista da leitura, obrigada!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desde que lá fui pela primeira vez, nunca mais te perdi de vista. ;) bj!

      Eliminar
  3. Parabéns pelo post, fez-me lembrar um recente da Colher de Pau em que ela se queixava - e com razão - do exagero de publicidade e de uma perda praticamente generalizada da inocência com quem começaram os blogues (de culinária e não só) portugueses. O teu é dos que sigo desde sempre, quando durante anos apenas lia e nunca comentei um blogue, nem sequer sonhava ter um. Também tenho parcerias, mas procuro fazer um trabalho de pesquisa que fundamente o meu interesse nas marcas. Como dizias, equilíbrio. Lembro-me que cheguei ao teu blogue com a receita de sopa de alho francês e maçã é que ainda hoje é das favoritas cá em casa. Já vês por aí há quantos anos sigo com prazer as tuas receitas e lindas fotografias. Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também li o post da Joana, muito acertivo.<
      Fico feliz que acompanhes o No Soup e leves para casa receitas que se tornam vossas também. A sopa de alho francês e maçã é recorrente tb por aqui! ;) Beijinhos.

      Eliminar
  4. Adorei o post Susana, e a sinceridade. Alguns dos teus favoritos são meus também, incluindo o teu! :) Outros vou já espreitar porque não conheço. E esse bolo, vou ter que experimentar sendo eu uma fã de batata doce! beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espreita sim que são todos deliciosos de ler e comer. :) Acho que vais gostar. :)
      Obrigada pela visita. Bjs

      Eliminar
  5. Obrigada pelo post
    Fiquei a conhecer outros blogs fantasticos :)

    ResponderEliminar
  6. Ah blogues que são obrigatórios. E os que mencionaste são referências também para mim, independentemente da sua "idade". E gosto deles por um milhão de razões :)
    E claro, não esquecer que o teu No soup também é um dos blogues do coração (e livro coitadinho, que já nem se aguenta na lombada, com as folhas as soltarem-se de tanto serem reviradas!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tornam-se parte das rotinas, não é Ondina. E sempre que os abrimos e há um novo post, lê-se com o mesmo entusiasmo! Tu costumas andar pelas mesmas casa que eu, vejo os teus comentários sempre pertinentes e sempre atentos ao que é escrito. :) bj

      Eliminar
  7. "Outros desencantaram-se com a massificação destes padrões e baixaram os braços. Ou fecharam a porta ou correram as cortinas, que só abrem de quando em quando, sem muita vontade de procurar um lugar ao sol na blogosfera dos “famosos”. Revi-me completamente nesta frase... até me arrepiei por alguém ter conseguido pôr em palavras o que sinto.

    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acreditda que o teu Three Fat Ladies estava-me no pensamento quando o escrevi. Lembro-me de lá ir quando tudo arrancava e das coisas boas que fui descobrindo com as tuas receitas. ;) Tens mesmo que abrir as cortinas mais vezes! :)

      Eliminar
    2. Peço desculpa de me intrometer em conversa alheia, mas não me contive.
      Óh D. Pipoka e tu lá és mulher de baixar os braços? ;)
      Beijo grande!

      Eliminar
  8. Amei o teu texto já devia ter sido publicado há mais tempo isso sim! Gosto da tua sinceridade, um beijo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu gosto de ti! :) Obrigada pelo comentário, Sandra. Bj

      Eliminar
  9. Olá Susana,
    não conhecia dois dos espaços mencionados e já lá fui e são relamente fantásticos, tal como teu que sempre adorei e com o livro ainda é mais fácil fazer as sugestões.
    Um bolinho perfeito para o chá e claro para o pequeno almoço, bonito simples e com sabores de Outono, não tivesse ele batata doce.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom, Sandra, que pude dar-te a conhecer mais alguns dos blogues de que mais gosto.
      A batata doce é outro dos sabores que mais me cativa no Outono. Com as castanhas, a romã, a abóbora, os cogumelos... ai tanta coisa boa! :)
      bj

      Eliminar
  10. Concordo a 100% contigo e apesar de ainda ser uma novata nestas andanças, tu foste logo dos meus primeiros amores. Seguia-te a ti, a Helena (claro!) e à Teresa... Acho que eram esses os 3. Quando saiu o teu livro comprei logo vários para oferecer. :) E lembro-me de te pedir: "Agora não desapareças!" eheheh ainda bem que continuas por cá e sempre genuína. Beijinhos muito grandes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Embora alguns não comentem, é muito bom sentir a presença do que vão deixando mensagens e se fazem notar, acompanhando-nos ao longo do tempo. O livro foi um momento tão especial, mas jamais me roubaria este prazer de poder partillhar e escrever sobre o que alimenta os meus dias.
      Obrigada pelo comentário, Maria João, é bom ter-te por cá. :)

      Eliminar
    2. sim... eu tenho esse problema.. comento poucas vezes, mas estou sempre aqui... e vejo com atenção o que fazes. E acho que sabes disso! :)
      Beijinhos

      Eliminar
  11. Olá Susana.
    Hoje deste-nos mais uma prova de quão inspiradora e assertiva consegues ser. Esta verdade, esta sinceridade, este transmitir de ideias e sentimentos, e de boas receitas, tem vindo a desparecer em muitos blogues que sigo, o que me entristece, sem dúvida. Aqui sente-se aconchego e qualidade no que dizes e no que fazes e isto agrada-me muito.Acrescento-te, por isso à lista que enumeraste acima.
    Beijinhos.
    Patrícia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelas tuas palavras, Patrícia. Foi apenas uma partilha de pensamentos, mas que acaba por ir ao encontro do que alguns vão sentido. Ou não, mas não espero que todos pensem o mesmo, até porque na unanimidade nunca está o ganho. ;)
      Beijinhos.

      Eliminar
  12. Adorei as tuas palavras! Ser vulgar é fácil. Ser-se original e criativo é uma viagem longa, trabalhosa mas cheia de coisas boas. Requer muita disciplina e dedicação e nem todos estão para isso.
    Espero um dia poder estar à altura dos melhores. Até lá vou fazendo o meu melhor e procurando inspiração em outros tantos como o No Soup!
    Bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode ser das imagens, mas pode ser das palavras, da empatia, no fundo sentir que naquele blogue há alguém que se mostra e nos mostra um bocadinho da sua forma de ver o mundo. A comida é tão poderosa quanto isso, porque à volta dela giram muitas das emoções que vivemos durante o dia.
      Quando essa inspiração passa para o blogue, está feito! :)
      Obrigada pelas palavras, Milly. Bj.

      Eliminar
  13. Obrigada por partilhar os seus blogs favoritos, uma lista fantástica! e que bom aspecto nesse bolo!
    Venha conhecer também o meu blog: santiroyalhome.blogspot.com
    Santi

    ResponderEliminar
  14. Ser original e genuíno no mundo dos blogs ainda é fácil, quando se ama o que se faz e sentimos que o que fazemos é uma coisa nossa, que transmitimos um pouco de nós. Concordo com muito do que dizes. E percebo e vejo.
    Quando comecei haviam muitos que seguia e continuo a seguir por serem inspiradores e me identificar, como teu, o da Helena, o da Teresa, o da Ameixinha, o Gourmets. E entretanto foram surgindo muitos mais que adoro, mesmo pelas pessoas que os fazem e pelo conteúdo.
    E esse bolo, que maravilha, sabe a tardes de outono e lanches bons.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  15. Ser original e genuíno no mundo dos blogs ainda é fácil, quando se ama o que se faz e sentimos que o que fazemos é uma coisa nossa, que transmitimos um pouco de nós. Concordo com muito do que dizes. E percebo e vejo.
    Quando comecei haviam muitos que seguia e continuo a seguir por serem inspiradores e me identificar, como teu, o da Helena, o da Teresa, o da Ameixinha, o Gourmets. E entretanto foram surgindo muitos mais que adoro, mesmo pelas pessoas que os fazem e pelo conteúdo.
    E esse bolo, que maravilha, sabe a tardes de outono e lanches bons.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  16. Susana, não podia estar mais de acordo as tuas palavras. Aquilo que me liga a um blog é exactamente a sua autenticidade. Não me incomoda quando um blogger se associa a marcas ou faz posts patrocinados, desde que o faça de forma autêntica e sem exageros. Incomoda-me sim a massificação dessa prática que acaba por afectar drasticamente a identidade do blog e isso é ainda mais triste quando acontece num blog que gostamos.
    A minha incursão neste mundo da blogosfera é muito, muito recente. Penso várias vezes qual o melhor rumo, não só para fazer crescer o blog, mas também para que seja um percurso significativo. Felizmente grande parte das minhas referências estão na tua lista de amores (alguns ainda não conhecia e fui rapidamente espreitar). Acrescentaria o teu. É curioso porque eu conheci primeiro o teu livro e mais tarde o blog. Apesar de ter começado a comentar aqui há pouco tempo, já o leio de forma silenciosa há bastante. E volto sempre porque aquilo que encontrei aqui foi exactamente o mesmo que me fez identificar com o livro, a tua genuinidade e a qualidade do teu trabalho.

    ResponderEliminar
  17. Adoro doces com batata doce e este bolinho tem um ar maravilhoso. Parabéns pelo bom trabalho!

    ResponderEliminar
  18. Olá Susana
    Curioso ler o teu post de hoje. O meu último post aborda, de forma ligeira, o que referes. Não me atrevi a mais porque não conseguiria ser tão assertiva. Passo muito silenciosamente em algumas "cozinhas", como é o caso da tua. Neste caso, sinto sempre que não foi uma perda de tempo. Saio sempre a ganhar.
    Um beijinho e votos de que continues a inspirar quem te visita.
    Guida

    ResponderEliminar
  19. Olá Susana,
    Passo aqui muitas vezes em silêncio, mas perante o texto do post de hoje, tive de parar e comentar, pois concordo tanto contigo em tudo o que escreveste. Os blogues estão a ficar estereotipados pelo mundo da Donna Hay (que adoro atenção, mas é dela, é pessoal...), mas vazios de personalidade. É tudo em nome do estilo...
    Eu conheço o blogue da Elvira há anos e ainda nem sequer sonhava em ter um blogue de culinária e já comentava no blogue da Elvira que sim, é uma inspiração como referes e autêntico, sem máscaras nem estilos falsos.
    Quanto ao teu bolo, como tudo o que cozinhas, fabuloso!!
    Beijinhos,
    Lia.

    ResponderEliminar
  20. Querida Susana,
    Que texto bonito. Faço das tuas palavras, minhas, pois não descreveria melhor o que também sinto. Houve um crescimento exponencial no mundo dos blogs de culinária nos últimos tempos. Mas os genuínos , aqueles que me levam a casa, são aqueles que, em cada post, deixam uma fresta para a alma de quem os escreve. Identifiquei-me e senti-me acarinhada pelo teu post :).
    Um grande beijinho
    Sofia

    ResponderEliminar
  21. Olá Susana, gostei imenso do texto e da sinceridade! Também sigo muito destes, há muito tempo, faz parte da rotina.
    Acho que o mais importante é transmitirmos algo de que gostamos e do que somos. Li, há pouco tempo, num blog que também sigo, uma frase que não podia concordar mais: "ter um blog é como enviar cartas em garrafas atiradas ao mar". Escrevemos, transmitimos e esperamos que alguém nos "leia" e que gostem ;)
    Continua assim!
    Bjinhos

    ResponderEliminar
  22. Leio todos estes vossos comentários e acrescento as vossas palavras às reflexões que escrevi no blogue. Muitos de vocês são também bloguers, muitos outros que não são lerão tudo isto também, que acrescente e enriqueça aquilo que fazemos e aquilo que queremos fazer. :) É bom falarmos destas coisas, porque é cada vez mais evidente e crescente.
    Obrigada pelo vosso feedback. :)

    ResponderEliminar
  23. Susana a textura desse bolo deixa-me curiosa, porque o sabor eu sei que é bom. É mais denso por causa da batata?

    Fico contente por continuares a gostar do Sabores de Canela, mesmo que às vezes eu não saiba muito bem o que fazer com ele, penso que todos nós ao fim de alguns anos passamos pelo mesmo.
    Quanto ao texto venho comentar depois, acabei de perder o "testamento" que tinha escrito :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um pouco, mas não muito, porque os 100 g são o suficiente para acrescentar o sabor e um pouco de densidade, sem ser em demasia. A primeira vez fiz com 200 g e ficou um pouco de mais.

      Passamos mesmo. Eu ando há um bom tempo numa fase assim, acho que agora, embora sem estar no auge do entusiasmo, estou com a cabeça mais em ordem. ;)
      Bj grande!

      Eliminar
  24. Olá Susana. Também eu sou autora de um blog e o No soup é também um dos meus blogs de coração. Confesso que ao início caí "no erro" de despejar as ofertas que me caiam em casa no blog. Hoje, por respeito ás marcas, faço-o apenas no FB. No blog, apenas referencio uma ou outra marca, quando é uma receita muita específica. E já comecei a rejeitar iniciativas, não só por falta de tempo, mas também por achar que os produtos não correspondem à qualidade que querem transmitir. Mas tudo isso é uma aprendizagem que se faz. E convenhamos que para quem ganha francamente mal, como é o nosso caso lá em casa, uma ajuda extra de encher as prateleiras da dispensa, vem sempre a calhar. E não tendo ninguém que me faça chegar a casa produtos da horta da família, essa necessidade fala ainda mais alto. Amo o que faço de paixão (se não já teria desistido há muito!), mas nunca tive pretensões de ser uma cozinha de elite. Sou muito terra a terra. Chego mesmo a ser muito básica. Mas o que faço é honesto, é de alma e coração. E gosto. No outro dia quando li o post da Joana Roque relacionado com este assunto confesso que fiquei um pouco "chocada" com a agressividade com que foi feito e associei-o ás hormonas aos saltos... :) Mas fez-me meditar, tal como teu. E sim, haver equilíbrio é bom. Eu tento encontrá-lo. Mas ás vezes é bom perceber todos os lados da questão. Obrigada pelas tuas palavras...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria João, fico feliz que continues a acompanhar o No Soup.
      Estas minhas palavras não são julgamentos, são reflexões. Os blogues têm essa característica tão especial e única de serem projetos pessoais que permitem que quem os cria partilhe as suas ideias com quem lá vai. A partir daí cada um partilha o que quer e cada um vai aos blogues de que gosta. Se te sentes bem com o equilíbrio que encontraste, isso é o mais importante.
      Do que se fala aqui não é de cozinha de elite, muito pelo contrário. Falo de autenticidade, dos meus gostos pessoais, do gosto por blogues tão variados como os que enumerei e tantos outros que sigo, onde o denominador comum é a identidade própria que vão construíndo. :)
      Obrigada pelo teu comentário, são estas conversas que enriquecem o tema! :)
      Bjs

      Eliminar
    2. Talvez me tenha expressado mal ao dizer cozinha de elite. Devia tê-lo colocado entre aspas :) E não me senti minimamente julgada... acho sim, e como já disse, são posts que nos fazem reflectir. E isso é bom. Sempre!
      Obrigada mais uma vez :) Bjs

      Eliminar
    3. :) Isso mesmo, falando e reflectindo sobre o que tanto gostamos de fazer. ;)
      Bj*

      Eliminar
  25. Minha querida Susana,

    Obrigada por este post. Por escreveres o que muitos sentem e por seres catalisadora de reflexões tão necessárias.

    Por isso, e por seres quem és, um abraço cheio de saudades e muitos beijos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Suzana, tu és das pessoas que melhor representa aquilo que define o meu conceito ideal de blog. Porque seja o que for que cozinhes, seja o que for que escreves, o que nos dás é sempre teu, é a tua visão e é a tua identidade.
      Isto no fundo são apenas blogues, claro, mas já que andamos cá, acredito que vale a pena falar sobre as coisas.
      Bj grande para ti e obrigada pelo comentário.

      Eliminar
  26. Como eu te compreendo... Por isso não há publicidade para ninguém no Freak Veggie... Já me chamaram de burra por o fazer, mas sinceramente prefiro que assim seja, genuíno, sem pressões, livre!

    Adoro o teu blog e revi-me literalmente em tudo o que escreveste. Sinto o mesmo, admiro os mesmos, e no meio de tudo o que anda acontecer sinceramente por vezes só me apetece fechar a barraca perguntando-me se é mesmo isto que quem nos acompanha quer ver... O blog é meu, para mim, mas também é interessante perceber que é seguido por outras pessoas. São bocadinhos de nós. E tu és um exemplo a seguir. Bjs gds e desculpa não comentar, mas acho que quem já anda há tantos anos como nós, e apesar de precisar de um "beijinho" de cumprimento, de felicitação pelo belissímo trabalho e merecida progressão, de vez em quando é complicado... P.S- Estou viciada na tua tarte de queijo e coco. O que tu me deste a descobrir, mulher!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo teu comentário Ana. E pelos muitos anos de leituras, tu cá e tb eu no Freak Veggie, onde vou faz anos. :)
      Que bom ler as tuas palavras e melhor ainda, que o que levas de cá te alimenta os dias! bj*

      Eliminar
  27. Susana
    Tudo o que era bom e mau tornou-se exponencial, com a explosão de blogues de gastronomia.
    Sinceramente há uns dois anos perdi-me neste mundo, desconheço quantos haverá e opto por ser fiel aos meus velhos e alguns novos com que me cruzo eventualmente e pela simpatia dos autores, pela qualidade, ou ambos, alguns eu acrescentaria na minha lista.
    Enunciaste alguns males, permite que acrescente outros que na minha visão não deixam de ter importância:
    -blogues ou sites sem identidade, sem qualquer informação do autor.
    -criar( não confundir com ceder) receitas para revistas, em troca de aparecer nas mesmas. Entendo que o trabalho tem de ser pago e as editoras possuem budgets para os vários departamentos, mas as "borlas" incrementam o lucro.
    -o complexo recorrente de não citar a fonte, como se a criatividade diminuísse ao fazê-lo.
    E tudo o mais que desvaloriza o trabalho e imagem dos foodbloggers em geral.
    Os blogues são criados e alimentados por pessoas com valores ou não e que se nutrem bem ou mal. Descartando casos "second life" ( conheci um), traçamos o perfil de um blogger pelo trabalho que desenvolve e apresenta. Pudéssemos nós confiar na selecção dos leitores e o problema teria solução, mas o mundo virtual é apenas uma amostra da nossa sociedade.
    Beijo e ânimo para continuação de bom trabalho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não poderia ter dito melhor, porque é isso mesmo, é um pequeno mundo que é espelho da sociedade. Para o bem e para o mal...
      Esse bichinho da vaidade, vai corroendo, corroendo.

      Valem os blogues cheios de brilho e alma e talento, que tanto nos inspiram coisas boas. :) O teu Sabores de Canela é tudo o que dá ânimo. lol

      Eliminar
  28. Susana,
    Identifico-me com tantas das tuas palavras, discordo de outras, mas o mais importante é que essas palavras levaram a uma reflexão colectiva de quem te lê e isso é muito saudável.
    Considero que pior que a "publicidade barata" é fazê-lo de forma gratuita e encoberta, ou querer chegar às luzes da ribalta a qualquer preço. Como em tudo na vida há que ser ponderado e fazer escolhas (boas de preferência). Para mim, o que mais me desencanta e continua a preocupar são as questões de ética, principalmente no que toca ao "poder divino da criação".
    Sincera e genuína, é isso que te diferencia nesta blogosfera tão específica.
    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há quantos anos te leio eu, Manuela? :) :)
      Obrigada pelo teu comentário. Bj grande!

      Eliminar
    2. Perguntas bem :)
      Não tenho a certeza mas deve ser pelo menos para aí uns 5 anos
      Temos que marcar o nosso jantar para esmiuçar estas questões e matar saudades
      Bj

      Eliminar
  29. Olá Susana, tenho que concordar com algumas coisas que dizes. Mas há coisas que continuam iguais, sempre houve blogs bons e blogs menos bons, gente autêntica e gente que rouba conteúdos, pessoas éticas e os outros :) A blogosfera culinária não mudou, nós é que fazemos uma leitura das coisas diferentes, porque, como blogueiras, nós mudamos. Muitas de nós sabem distinguir o certo do errado, sabemos o que queremos passar para os outros que nos leem. Não são os textos e imagens que são autênticos, são as pessoas por trás do blog e são essas pessoas, que mais cedo ou mais tarde, se revelam. Uns escolhem manter-se fiéis aos seus princípios, e outros escolhem o caminho fácil e embriagante da publicidade.
    Acho que quem é realmente autêntico não procura nenhum lugar ao sol na "blogosfera dos famosos". Autêntico é aquele que se encontra no seu blog, não o que procura.
    Em relação aos blogs que dizes que evoluíram e cresceram, tenho uma opinião contrária. Conheço a maioria deles e só posso dizer que eles sempre foram assim, autênticos, reais, com pessoas magníficas que os comandam. A minha perspectiva é que com o tempo e o conhecimento adquirido, as pessoas que os gerem é que cresceram no nosso coração :) Resta saber se nós, com as escolhas que fomos fazendo para os nossos blogs, crescemos no coração de quem nos lê.

    O bolo é algo diferente para mim, nunca comi nenhuma doce feito de batata-doce mas imagino que seja bom, então com essas especiarias, é receita para me envolver :)
    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ameixinha, este teu comentário veio acrescentar muito a esta reflexão. Muito, muito bom para ler e e pensar no que dizes.
      Obrigada! Bj grande para ti, Marta.

      Eliminar
  30. Que engraçado - sem ter graça nenhuma! - mas também tenho essa sensação dos post fabricados e escritos a troco de nada ou de uma caixa de maquilhagem ou um creme corporal (não estou a falar de blogues de cozinha, é certo...) - e pergunto-me: "Quantos cremes terá esta pessoa em casa?", com certeza nunca chegarão a ser usados e ficarão rançosos... É um fenómeno transversal à blogosfera quer seja nos blogues de culinária, de moda, de crafts ou mesmo de lifestyle
    Há as excepções, como o teu Susana, que cada palavra revela paixão e um pouco de ti!
    Keep the good work.
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  31. Os amores correspondidos são sempre os mais felizes. Obrigada pelo carinho, pela presença. Sabes que também estou sempre deste lado.
    Beijo grande *
    Mariana

    ResponderEliminar
  32. Esse bolinho deve ser uma delicia mas, acima de tudo adorei a homenagem aos amigos blogueiros.
    Bjs, Susana
    Nota: Ver os passatempos a decorrer no meu blog:
    http://tertuliadasusy.blogspot.pt/2013/11/1-aniversario.html
    http://tertuliadasusy.blogspot.pt/2013/11/crumble-de-marmelo-com-aveia-e-nozes.html

    ResponderEliminar
  33. Adorei a homenagem e adoro que a Zine esteja no teu coracão, apesar de ser uma Zine desleixada que já não escreve há uns tempos. Bjinhos /P

    ResponderEliminar
  34. Gostei muito do que aqui li, do post e dos comentários. A chamada “blogosfera” é um mundo interessantíssimo, representa uma mudança de paradigma no modo como é comunicada a criação. Já muitos escreveram sobre a democratização do acesso à informação e do acesso aos veículos de transmissão da criação. Longe de mim fazer uma dissertação sobre o tema. Hoje em dia todos podemos ser autores. Esta democratização naturalmente traz também alguma massificação. Mesmo que involuntariamente somos influenciados pelo que vemos. Achei interessante a referência ao Pinterest. Para mim, actualmente, é um dos maiores responsáveis pela formação da nossa estética “bloguista”. As “linhas editoriais” dos blogs começam a assumir um padrão muito idêntico, e perde-se a originalidade. Gosto muito de passear pelos blogs, gosto de apreciar o que por lá se escreve, as fotos, as ideias que vou recolhendo, gosto de ver como evoluem. Alguns têm um ADN próprio que me fazem reconhecer os seus posts mesmo que os encontre numa foto do Pinterest. Outros são apenas mais do mesmo. Acredito que para fazer um blog original, que se destaque, é necessária muita dedicação, entrega, talento e trabalho, muito trabalho. Esses são os especiais, depois há os banais com pretensões a serem uma marca e os banais sem pretensões a conquistar grandes audiências.
    Parabéns pelo ADN do No Soup :)

    ResponderEliminar