quarta-feira, 19 de março de 2014

Desse amor onde cabe tudo. E um estufadinho de ervilhas.

Um dos meus posts favoritos de sempre do No Soup é O Guardião - a jardineira para o meu pai.
Ficou escrito. Gravado, já não só no meu mundo de afectos, mas em caracteres físicos que parecem tornar mais real o que se sente.

Comida de pai, na minha vida, é comida com molhinho bom, refogado apurado, tempero puxado e pouca esquisitice à mistura. Um estufado simples como este de hoje é sempre tiro ao alvo.

Na verdade, acho que não há nada de que o meu pai não goste à mesa. Se for preparado pela minha mãe, só se pode mesmo gostar muito, porque tudo lhe sai maravilhosamente “au point”. Essa arte da simplicidade. Lol
Quando é cozinhado por mim, qualquer coisa há (chamada amor) que lhe regala o paladar, seja o que for que lhe sirva.

Nesse amor sem fim cabe tudo. Do lado de cá, dos filhos, será um amor mais egoísta, onde cabem  dias cantarolados com mimos e entusiasmo, mas também algumas descargas do mau feitio que poucas vezes salta com tanto despudor... É a quem mais amamos que mostramos as cores todas da nossa pintura, sussurro-me desculpas... e há sempre depois o abraço certo, é certo que nunca falha esse abraço.

Eu sou a força desse abraço, pai.


   photo IMG_1120_zps6e2bdc38.jpg 

Estufadinho de ervilhas e pescada

Serve 4

4 postas altas de pescada
Sal e pimenta preta moída na hora
Azeite

1 cebola

1 dente alho

1 ramo de coentros
1 folha de louro
400 g tomate pelado

150 g vinho branco

1 kg de ervilhas 

100 g água



// preparação tradicional

Tempere a pescada com sal e pimenta e reserve.
Refogue em azeite a cebola e o alho picados.
Quando a cebola ficar translúcida, junte os coentros picados, o louro, o tomate desfeito em pedaços e o vinho e deixe em lume brando até levantar fervura. Depois tape e deixe cozinhar lentamente durante 15 minutos.
Adicione então as ervilhas e a água e cozinhe tapado cerca de 5 minutos.
Tempere com sal e pimenta, junte a pescada e deixe em lume brando cerca de 10 minutos ou até que as ervilhas e o peixe fiquem cozinhados.
Rectifique os temperos e sirva polvilhado com coentros.


// preparação robot de cozinha (bimby_thermomix) 

Tempere a pescada com sal e pimenta e disponha-a na Varoma. Reserve.
Coloque no copo a cebola, o alho, o tomate, os coentros e o azeite e pique 5 seg/vel 5. Cozinhe 5 min/Varoma/vel 1 e depois triture 15 seg/ vel 7, para que o molho fique homogéneo.

Adicione a folha de louro, as ervilhas, o vinho, a água, o sal e a pimenta, coloque a Varoma com a pescada e programe 20 min/Varoma/vel colher inversa.
Rectifique os temperos e sirva polvilhado com coentros.


**

O meu pai ficaria feliz, feliz, se fechasse a refeição com a sua sobremesa de eleição, arroz doce.
Caso procurem outras sugestões, basta darem uma espreitadela aos separadores dos bolos, tartes e doces.



19 comentários:

  1. Sem dúvida uma bela sugestão, mesmo à maneira do meu pai.
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que é daquelas receitas que agrada sempre aos pais, não é? :) Bj

      Eliminar
  2. Tem um óptimo aspecto! Simples e na "mouche". :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Das comidas que agradam sempre, normalmente, as mais simples ;)

      Eliminar
  3. Olá Susana!
    Lembro-me bem do post do Guardião, bem como da jardineira.
    São receitas destas, feitas com muito amor e carinho e para os que mais amamos que fazem a vida valer a pena e nos enriquecem enquanto cozinheiros. Lindo este post. ;)
    beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pratos cheios de carinho é sempre uma boa ideia. :) Que bom que gostaste, Célio. Um beijinho.

      Eliminar
  4. que belo aspecto!
    Beijinhos,
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. Diferente! Vou querer experimentar!
    Bjos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que experimentes e que gostes. E agora com as ervilhas frescas que chegam com a Primavera, é mesmo um convite para fazer. :)

      Eliminar
  6. como sempre, fiquei de lágrima no canto do olho com o texto...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então seca lá isso e atira-te aos tachos. :) É sempre bom ter-te por aqui, Ondina. Um beijinho para ti.

      Eliminar
  7. Lindo, lindo texto!
    Adoro a forma como escreves.
    Muito bonito!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São estas pequenas coisas que nos enchem as mãos e o peito de vontade de cozinhar para quem gostamos, não é?
      Fico feliz que tenhas gostado, Maria Joao. Um beijinho!

      Eliminar
  8. nham nhami.

    http://viagemdoceviagem.blogspot.com

    ResponderEliminar
  9. É verdade, a simplicidade pode ser um trunfo :)
    Neste caso é-o de certeza! Que bom prato, deve ser uma delícia! :)

    ResponderEliminar